Vacina contra dengue já pode ser comercializada no Brasil

Publicado em


Após sete meses registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a vacina contra a dengue já pode ser comercializada no Brasil. O Comitê Técnico Executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) determinou que o preço da Dengvaxia, como é chamada a vacina da Sanofi Pasteur, vai variar entre R$ 132,76 e R$ 138,53, dependendo do ICMS adotado em cada estado.

O valor estipulado é o que será pago ao fabricante por clínicas, hospitais e distribuidores e deve ser bem diferente do que será cobrado do consumidor final. “Os valores para um mercado privado não refletem o que vai ser praticado. As clínicas tem taxa de aplicação, tem tributação da clínica, tem que pagar sua estrutura. Esse preço é muito longe do que o mercado vai trabalhar para o consumidor final. Esse é o preço de fábrica que a Sanofi vai colocar no comércio”, explicou Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações.

De acordo com o infectologista, o produto é um avanço, considerando que o Brasil vivencia há muitos anos um grande problema de saúde pública devido ao vírus da dengue. Em 2016, até 11 de junho, mais de 1,3 milhão de pessoas tiveram dengue em todo o país e 318 pessoas morreram em decorrência da infecção pelo vírus.

Fabricada pela empresa francesa Sanofi Pasteur e registrada no Brasil desde dezembro de 2015, a Dengvaxia é a primeira vacina desenvolvida contra a dengue no mundo e só precisava da determinação do valor de fábrica para poder ser vendida. Segundo a Anvisa, a demora ocorreu devido ao ineditismo do produto, já que normalmente a estipulação de preços leva em conta outros produtos semelhantes no mercado.

O imunizante é indicado para pessoas entre 9 e 45 anos, deve ser aplicado em três doses com intervalo de seis meses entre elas. O fabricante garante proteção contra os quatro tipos do vírus da dengue. Segundo os estudos, a proteção é de 93% contra casos graves da doença, redução de 80% das internações e eficácia global de pouco mais de 60% contra todos os tipos do vírus. A capacidade de produção do laboratório é de 100 milhões de doses por ano.

Para Kfouri, a eficácia da vacina é satisfatória e segue o padrão de vacina como a contra varicela e contra o rotavírus, que evitam completamente cerca de 60% dos casos das doenças, mas tem um impacto maior na redução de casos graves, que poderiam levar a hospitalizações e à morte.

SUS

Apesar de poder ser comercializada em todo o Brasil, ainda não há determinação sobre se a Dengvaxia será utilizada na rede pública. Para isso, o Ministério da Saúde deve fazer estudos sobre o custo/benefício da compra e distribuição do produto e de qual seria a estratégia de aplicação para ter impacto em termos de saúde pública.

Para Renato Kfouri, a decisão do Ministério da Saúde de não adotar imediatamente a vacina é adequada, já que um programa nacional de imunização requer uma visão ampla de como a doença se comporta e de quais seriam as estratégias de aplicação.

“A vacina tem eficácia de cerca de 60% contra os quatro tipos de dengue, mas em termos de saúde pública, para conseguir atingir esses números, quantas pessoas teríamos que vacinar? Todas de nove a quarenta e cinco? Crianças entre nove e dez anos? Adultos? Quem devo vacinar? Que quantidade de vacinas tenho a oferecer? Quantas seriam necessárias para um bom impacto? Com quantos indivíduos vacinados terei impacto?”, questionou o especialista.

Ele ressalta ainda que as estratégias de vacinação em adultos costumam ser bem menos eficazes do que as que têm como público alvo as crianças, já que a adesão é frequentemetne menor.

Desta forma, como uma ação individual, de quem pode pagar, a vacina é uma boa estratégia de prevenção, porém, para a introdução em um programa de imunizações são necessários estudos mais aprofundados. “Em nível de saúde individual, em clínica privada, é um ganho enorme, revoluciona, mas a posição do Ministério da Saúde foi cautelosa e adequada”, pontuou Kfouri.

Testes com a pílula do câncer começam hoje em São Paulo

Publicado em


Os testes clínicos com a fosfoetanolamina sintética para tratamento do câncer começam hoje (25) na capital paulista. Nesta primeira fase, dez pacientes receberão a medicação, conhecida como pílula do câncer, e serão monitorados por uma equipe multiprofissional do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp).

Posteriormente, serão testados mais 21 pacientes para dez tipos de tumores: cabeça e pescoço, pulmão, mama, cólon e reto, colo uterino, próstata, melanoma, pâncreas, estômago e fígado. Se os resultados se mostrarem positivos, serão incluídos novos pacientes, até o limite máximo de mil pessoas.

Os testes foram aprovados na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Ministério da Saúde. A Fundação para o Remédio Popular (Furp), laboratório oficial da secretaria de Saúde do estado, forneceu as cápsulas da substância para realização da pesquisa.

Segundo a Secretaria de Saúde, o pesquisador aposentado da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos Gilberto Chierice vai acompanhar todo o processo.

A fosfoetanolamina sintética foi estudada por Chierice, enquanto ele ainda estava ligado ao Grupo de Química Analítica e Tecnologia de Polímeros da universidade. Algumas pessoas tiveram acesso às cápsulas contendo a substância, produzidas pelo professor, que usaram como medicamento contra o câncer.

Em 2014, a USP proibiu a produção de qualquer tipo de substância que não tivesse registro, caso das fosfoetanolamina sintética. Pacientes que faziam uso do medicamento e disseram notar melhora no quadro de saúde recorrem à Justiça e ganharam o direito de acesso à droga.

Jornada de Nutrição e Câncer é promovida pela Associação Bahiana de Medicina

Publicado em


Será realizada em 19 de agosto, na sede da Associação Bahiana de Medicina (ABM), a I Jornada Baiana de Nutrição e Câncer. A programação terá como temas a atividade física para pacientes oncológicos, cuidados paliativos, dieta cetogênica (caracterizada pela elevada quantidade de gordura), a relação entre a obesidade e o câncer, oesteoporose e câncer, entre outros.

As inscrições estão abertas até 12 de agosto. Mais informações e a programação detalhada estão disponíveis no site da ABM (clique aqui) ou pelo telefone (71) 2197-9666.

Foto: Marcos Santos/ USP Imagens
Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Núcleo de Oncologia promove workshop sobre terapias complementares

Publicado em


Na próxima terça-feira (26), o Núcleo de Oncologia da Bahia irá promover o 4º Workshop de Terapias Complementares, para abordar os benefícios de práticas como a meditação.

Para os pacientes que já superaram a doença, o workshop visa promover um estilo de vida mais saudável”, afirmou a oncologista Maria Lúcia Martins Batista, da equipe do NOB. Segundo a médica, é importante tratar o paciente de forma integral, corpo e mente.

Já para a fisioterapeuta e educadora Physio Pilates, Helena Mathias, “os exercícios físicos são aliados na recuperação do paciente oncológico, pois melhoram sua capacidade respiratória, estimulam o sistema circulatório, aliviam dores musculares e promovem a imunidade e até o humor, já que liberam serotonina e endorfina, os hormônios do bem estar, combatendo a depressão também”. O evento acontece às 14h30, na sede do NOB e as inscrições podem ser realizadas por meio do telefone (71) 4009-7059 ou e-mail comunicacao@nob-ba.com.br.

Hemóvel promove coleta de sangue na Ufba e no Shopping Paralela

Publicado em


O Hemóvel, unidade móvel da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), promove coleta de sangue no campus de Ondina da Universidade Federal da Bahia, entre a Biblioteca Central e a Faculdade de Comunicação (FACOM), onde ficará até sexta-feira (22).

A ação foi promovida pelo Diretório Central dos Estudantes da UFBA e pelo Fórum Acadêmico de Saúde (FAS UFBA). O objetivo é colher 60 bolsas de sangue e realizar 120 cadastros no local.

Já na entrada principal do Shopping Paralela, outra unidade do Hemóvel ficará disponível até sexta (22). O atendimento será entre 8 e 17 horas. Para doar é necessário apresentar documento com foto, pesar acima de 50 kg, estar descansado (ter dormido pelo menos seis horas), não ingerir bebida alcoólica 12 horas antes, estar alimentado e ter entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos devem apresentar autorização escrita por pais ou responsável legal.

Foto: Reprodução / Leitor BN
Foto: Reprodução / Leitor BN

Hemóvel promove campanha Amigos do Roberto Santos

Publicado em


A unidade móvel da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) estacionará em frente ao auditório central do Hospital Roberto Santos para realizar coleta voluntária de sangue e cadastro de medula óssea. A campanha Amigos do Roberto Santos será realizada de 26 a 29 de julho.

O atendimento será realizado das 8h às 17h. A Agência Transfusional do hospital (AT-HGRS) pretende melhorar o nível do estoque de bolsas de sangue da Hemoba, possibilitando otimizar o cronograma de cirurgias eletivas, avançar o tratamento de pacientes que precisam de hemodiálise e, principalmente, garantir que não faltem bolsas de sangue para as unidades de urgência e emergência.

O Hospital Roberto Santos utiliza cerca de 50 bolsas de sangue diariamente para atender às diversas demandas.

hemoba

Hospital veterinário da Ufba oferece serviço para castrar animais

Publicado em


O Hospital de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Bahia disponibiliza um programa de castração de cães e gatos de 1 a 4 anos. O pacote com exames e cirurgia é feito apenas em machos e custa R$ 80.

É necessário entrar em contato com a instituição e realizar um agendamento prévio, para participar do programa. O Hospital Veterinário da Ufba fica na Avenida Adhemar de Barros, no bairro de Ondina.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Cedeba debate sobre diabetes e doença macrovascular

Publicado em


No dia 2 de agosto, o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba)  realiza uma sessão de atualização com tema “Diabetes e Doença Macrovascular”. Na ocasião, serão discutidas as estratégias de prevenção primária e secundária na pessoa cm diabetes.

Segundo a coordenadora da Codar, Graça Velanes,  “É uma discussão muito importante”, pontuou. O encontro acontece das 9h às 11h30, no auditório do Centro de Atenção à Saúde (CAS).

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Hospital Geral Roberto Santos sedia mutirão de Prevenção de Câncer Colorretal

Publicado em


O Hospital Geral Roberto Santos sedia entre os dias 14 e 16 de julho, a 7ª edição do Mutirão de Prevenção de Câncer Colorretal. A ação é promovida pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed) e visa divulgar e conscientizar a população sobre a prevenção do câncer colorretal em fase inicial e lesões pré-cancerosas, que podem ser removidas pela colonoscopia.

A previsão é que até sábado (16), 120 colonoscopias serão aplicadas em pacientes entre 50 e 75 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Os exames serão realizados em quatro salas, com a previsão de até 40 exames por dia.

Voltado para médicos, residentes, estudantes e para a população, o evento contará com palestras relacionadas ao câncer colorretal, à doença inflamatória intestinal, à prevenção do câncer e aos apectos da retocolite ulcerativa e à doença de Crohn. Os encontros ocorrerão no Auditório do Edifício Anexo do Hospital Roberto Santos.

Foto: Divulgação / Sesab
Foto: Divulgação / Sesab

Santas Casas de Itabuna, Poções e Conquista aderem campanha SOS Saúde da Bahia

Publicado em


Com objetivo de buscar incentivos para entidades filantrópicas, a campanha SOS Saúde da Bahia,  teve a adesão na última sexta-feira (8) das Santas Casas de Misericórdia de Itabuna, Poções e Vitória da Conquista.

A ação foi lançada no último dia 1º pelo Hospital Martagão Gesteira e pelas Santas Casas de Misericórdia de Nazaré, Valença e Cruz das Almas, a campanha luta para que os valores repassados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) cubram o custo dos procedimentos realizados.

Segundo as entidades, há risco de que serviços essenciais à população sejam suspensos. A Santa Casa de Cruz das Almas realizava uma média de 12 mil procedimentos mensais antes de fechar em 2014. Para reabrir, embora reformada e com contrato firmado com a prefeitura local, é necessário acordo com o Estado, que ainda não assinou documento para repasse de cerca de R$ 300 mil por mês. Já a população de Nazaré, Valença e Vitória da Conquista pode ter uma redução de 12 mil, 20 mil e 34 mil procedimentos mensais, respectivamente.

Santa Casa de Itabuna | Foto: Divulgação
Santa Casa de Itabuna | Foto: Divulgação